Compartilhe
Ir em baixo
avatar
Mensagens : 29
Data de inscrição : 17/05/2018
Ver perfil do usuário

Lançassolar - Insubmissa, Não Curvada, Não Quebrada

em Dom Maio 20, 2018 12:03 am
"O Brasão da Casa Martell exibe o sol e a lança, duas das armas favoritas dos dorneses, mas das duas, o sol é a mais mortal."

-Daeron I Targaryen, o Jovem Dragão.


*Lançassolar é um povoado murado, protegido pelas três enormes Muralhas Sinuosas, uma circulando a outra e contendo quilômetros de becos estreitos, pátios escondidos e bazares barulhentos. O Portão Triplo, onde os portões das três muralhas são alinhados um atrás do outro, evita o labirinto, permitindo passagem direta até o Palácio Antigo através de uma rua de tijolos.*

*Uma das estruturas principais de Lançassolar é a fortaleza original da casa Martell, o Navio de Areia, que é um prédio grande, feio e com cor de argila que se parece com um drómon. Com o tempo, torres ao estilo roinar foram erguidas ao redor do forte. Duas outras estruturas centrais são a alta e esguia Torre da Lança e a grande Torre do Sol, encoberta por um domo dourado. A Torre da Lança possui cerca de quarenta e cinco metros de altura, podendo abrigar desde hóspedes, membros da corte até prisioneiros de sangue nobre. Na Torre do Sol pode ser encontrada a sala do trono do Príncipe de Dorne: dois assentos iguais, um decorado com a lança dos Martell decorada em ouro às suas costas, e o outro portando o sol brilhante dos Roinar. As duas torres são as primeiras coisas que qualquer visitante vê quando chega a Lançassolar, quer seja por terra ou por mar.*

*Melias Martell nunca viu grandes atrativos no Navio de Areia. Claro, era uma parte fundamental tanto da história de Dorne quanto pro funcionamento da casa. Coisas como quartéis, cozinhas e quartos para os servos eram necessários, ele supunha, mas não precisavam estar à vista. Não, ele se sentia muito melhor no mármore da Torre do Sol. Os Martell não eram mais os lordes pequenos vivendo em fortes de pau-a-pique de séculos atrás, tampouco os roinar eram os refugiados maltrapilhos de Nymeria. Eles eram os governantes de Dorne, orgulhosos, senhores de seu destino e muito mais refinados pela mistura das duas culturas, como um riquíssimo licor de amora destilado até a perfeição.*

*Ele gostava de pensar no próprio quarto como o pináculo deste refinamento. Havia gastado consideravelmente para decorar seus aposentos com as melhores sedas e mobília, tanto de Dorne quanto das Cidades Livres, mas era a localização que mais o agradava: feito todo de mármore, seus aposentos ocupavam praticamente todo um andar da Torre do Sol, e havia sido reformado para que fosse redondo e praticamente sem paredes - uma sacada com janelas amplas rodeava todo o andar, de forma que Melias possuía uma vista talvez sem paralelo em toda Westeros. Desertos ao norte, o Mar Estreito ao leste, o Mar do Verão ao sul e o Sangueverde a oeste. Todo dia podia propiciar um nascer e por do sol da própria sacada, além da brisa fresca vinda do mar.*

*O sol se punha agora, descendo ao longo do Sangueverde, a principal artéria de Dorne, e transformando o Mar Estreito num maravilhoso espelho dourado. Absorto na vista, Melias demorou um pouco para ouvir um servo entrando no quarto trazendo sua ceia - azeitonas, presunto defumado acompanhado com especiarias, ovos apimentados e uma jarra do melhor vinho dornês. O servo estava atrasado, embora isso não conseguisse o deixar de mal humor, não naquele ambiente, mas ainda assim sentia que uma reprimenda se fazia necessária.*


-Eu juro em nome dos Sete, não sei como você conseguiu um quarto com vista melhor que a minha.

*Não havia servo algum. Seu irmão Maron Martell, o Príncipe de Dorne, havia trazido uma bandeja com janta para dois.*
avatar
Mensagens : 7
Data de inscrição : 19/05/2018
Ver perfil do usuário

Re: Lançassolar - Insubmissa, Não Curvada, Não Quebrada

em Dom Maio 20, 2018 3:09 pm
Melias recebe seu irmão com um sorriso, sem contudo esconder a expressão de espanto vê-lo servindo a ceia. O rapaz solta uma sonora risada ao se deparar com Maron carregando a bandeja de comida.

- Hahahaha! Não me admira a demora neste serviço, Majestade. Se coubesse a nós fazer o que nossos servos já fazem com presteza, teríamos um reino mergulhado no caos!

Graciosamente, ele toma a bandeja das mãos de seu irmão e a deposita em uma pequena mesa para duas pessoas, próxima à uma das muitas saídas para sua ampla sacada. De madeira clara e nobre, o móvel tinha o tampo coberto por azulejos coloridos, montados para compor uma estampa floral pentoshi. Melias fazia questão de que todo o seu mobiliário fosse de origem dornesa ou de algumas da Cidades Livres. Acreditava que, ao menos em Westeros, não havia bom gosto e refinamento para alem das Montanhas Vermelhas.

Melias puxa a cadeira para que Maron se sente, em seguida dando a volta e sentando-se no lugar de frente ao Príncipe. Enquanto faz isso, prossegue falando.

- Quanto aos meus aposentos, meu irmão, não reclame! Se os Sete não me agraciaram com o trono, que sejam ao menos gentis em me dar uma bela vista!

O jovem sorri para seu irmão. Ambos tinham uma excelente relação, de modo que o Príncipe sabia que Melias nunca almejou o trono de Lançassolar. O caçula, por sua vez, tinha total confiança em sua irmã e irmão. A bem da verdade, todos sabiam da importância dos diferentes papéis que tinham a cumprir em prol de Dorne e dos Martell. Era essa confiança e boa relação que permitia aos três ficarem sempre lançando ironias e fazendo troças uns com os outros.

- Mas diga-me, Majestade. Além de servir como excelente desculpa para surrupiar um pouco da minha privilegiada vista, essa ceia servida pela realeza têm algum outro motivo oculto?
avatar
Mensagens : 29
Data de inscrição : 17/05/2018
Ver perfil do usuário

Re: Lançassolar - Insubmissa, Não Curvada, Não Quebrada

em Seg Maio 21, 2018 7:15 am

*O Príncipe se senta, um sorriso fino e travesso estampado em seu rosto.

-Deveras. Devemos riscar a servidão como mais uma da longa lista das vocações para a qual não devo me dedicar.

*Maron pega uma azeitona e a joga na boca, num movimento ágil e preciso, para depois colocar o caroço delicadamente no prato.*

-Você fala da graça do trono porque sabe muito bem que não irá ocupá-lo. Ou pelo menos reza para que eu me case logo e deixe de ser o herdeiro. Em verdade, "Príncipe" poderia estar na lista. Francamente, o cheiro dos estábulos me agrada muito mais do que os perfumes da corte.*

*Melias sabia que o irmão era um apaixonado por cavalos, sendo inclusive um cavaleiro soberbo, embora sem a sede de sangue que acompanhava o pai e o tio. Porém, Maron Martell era o melhor adestrador e criador de cavalo, e seu rebanho de puro-sangues dorneses era a inveja do continente.*

*O Príncipe segue com a refeição, comendo de forma caprichosa e frugal, embora o sorriso constante mostrasse a Melios que não falava sério em suas farpas.*


-Embora, verdade seja dita, eu deveria lhe punir por sua impertinência. Penso que tomar posse deste quarto seria um castigo adequado.

*Maron para de comer, embora ainda segure uma taça de vinho. Pela primeira vez na conversa, não está mais sorrindo.*

-Sim, infelizmente não posso me dar ao luxo de aparecer aqui para desfrutar de uma boa ceia e um belo pôr-do-sol, como bem desconfiou...

-Nosso querido... "sogro por lei" segue sendo a besta voraz e estúpida que sempre foi, razão pela qual nosso cunhado finalmente se cansou de sua idiotice e dos capachos à sua volta e foi morar com a família em sua ilha-fortaleza ao longo deste último ano. Desta forma, Mariah, que sempre me manteve deliciosamente informado sobre a corte dos Sete Reinos, agora só pode me fornecer informes de segunda mão e cada vez mais erráticos e esparsos. Lamentavelmente, esta situação não pode continuar.

-Dorne precisa de um embaixador junto ao Trono de Ferro.
avatar
Mensagens : 7
Data de inscrição : 19/05/2018
Ver perfil do usuário

Re: Lançassolar - Insubmissa, Não Curvada, Não Quebrada

em Seg Maio 21, 2018 3:23 pm
Melias fica em silêncio após a fala de seu irmão. Com as mãos, pega uma fina fatia de presunto defumado e coloca na boca, mastigando-a devagar. Em seguida, bebe um gole farto da sua taça de vinho. Dá um longo suspiro, com a taça ainda nas mãos e responde, com um meio sorriso e um olhar triste.

- Então de fato arrumastes um motivo para tomar-me este quarto.

A perspectiva de deixar Dorne e residir em Pouso Real não lhe agradava nem um pouco. Não tinha nenhum medo em relação às intrigas que aconteciam na corte do Trono de Ferro. Quanto a isso ele acha que tinha suficiente competência para contornar, apesar de ter total ciência dos perigos que aquelas pessoas ofereciam. Tratava-se, afinal, da corte mais disputada e complexa de Westeros. Melias, contudo, achava os nortenhos enfadonhos, conservadores, hipócritas, grosseiros e propensos à demonstrações gratuitas de violência. O Rei Aegon IV era a epítome de tudo isso. Conviver com ele seria uma experiência desagradável, para dizer o mínimo.

Pouso Real também era um reflexo da alma nortenha. Desprovidos de qualquer senso estético, a arquitetura da cidade não lhe oferecia nenhum atrativo. Era mal-cheirosa, tal qual os seus cidadãos, que tinham péssimos hábitos de higiene. Não duvidava que muitos deles nasciam e morriam sem conhecer o que era um banho. E não se referia apenas aos plebeus! Estes ao menos tinham contato esporádico com a chuva...

Para além de tudo isso, Pouso Real não via com bons olhos os nativos de Dorne. As alianças que travaram eram um capítulo recente na história de Westeros, fazendo com que as memórias das derrotas que sofreram ao sul ainda doessem no orgulho e mesmo no corpo de muitos nortenhos. Quanto a isso, deveria ter muito cuidado.

Sem esconder o seu desconforto com a situação, Melias prossegue.

- Bem, acho que sabes o que penso disso. Estás sugerindo que seu irmão de sangue deve arrumar meios para tolerar o pior Dragão que se tem notícia. Um Dragão que nem mesmo os outros dragões conseguem aguentar por muito tempo.

Melias não recusaria a oferta que nem chegou a ser colocada em termos por seu irmão. Sabia que não era exatamente uma questão de escolha. Ele deveria ser o embaixador que Dorne precisava. Seu irmão também sabia que Melias não ia recusar, mas o caçula queria deixar claro que a situação não o agradava. Não havia outra opção. Todos os Martell tinham um papel a cumprir.

Melias abre um sorriso sincero, ainda que triste. Ele levanta a taça, propondo um brinde.

- Que nunca digam que um Martell foge à luta! Cuide dos Dorneses tal como cuida de seus cavalos, meu irmão. Eu me encarregarei de cuidar dos ratos.
avatar
Mensagens : 29
Data de inscrição : 17/05/2018
Ver perfil do usuário

Re: Lançassolar - Insubmissa, Não Curvada, Não Quebrada

em Seg Maio 21, 2018 11:50 pm
*O sorriso de Maron continuava no rosto, mas agora era triste. Melias podia perceber que o irmão via naquilo um fardo, como o próprio trono.*

-Acredite, caro irmão, me agradaria muito mais destruir a sala dos tronos e mandar construir um quarto mais bonito que o seu. Mas a minha é uma responsabilidade que eu não pedi, assim como a sua agora. Grandes e pequenos, todos temos nossos deveres.

*O Príncipe suspira e olha pela sacada. As primeiras estrelas começavam a aparecer no céu púrpura, e o reflexo do por do sol no Mar Estreito se assemelhava a mil velas tremeluzentes. Talvez ao saber que em breve não teria mais aquela vista, o coração de Melias dá uma pontada, comovido pela beleza do momento.*

-Eu não lhe pediria para passar seus dias ao lado daquele verme inchado que se intitula um dragão. Não, nem mesmo eu seria tão cruel assim, basta a mim que fique na corte. Mas eu preciso de olhos, ouvidos e, mais importante, uma voz na capital dos Ândalos. Como eu disse, Mariah não pode mais me dar informações direto da corte, então será uma atribuição sua. Uma de três.

-A segunda se refere ao Rei Aegon. Ao longo dos últimos anos, desde que seu irmão morreu, para ser franco, o rei tende a fazer piadas desagradáveis sobre a paternidade de nosso cunhado, e ameaça, embora não diretamente, excluí-lo da linha sucessória. Sua presença junto ao Trono de Ferro indicará, de maneira sutil ou não, que Dorne tem um interesse direto na sucessão do trono, e que sua voz será ouvido. Se tudo seguir de acordo com nossos planos, em alguns anos haverá um dornês, de sangue senão nascimento, sentado no Trono de Ferro! Só essa perspectiva vale a pena só por imaginar os ossos do Conquistador estalando de raiva nos Sete Infernos!

-E a terceira é fácil de explicar, embora a execução ficará ao encargo de sua mente capaz: você falará com a voz de Dorne para qualquer questão envolvendo os Seis Reinos. Terás total liberdade de ação, desde que sempre se lembre das palavras de nossa casa: Incurvados, não submissos e não quebrados.


*Maron olha o irmão com interesse e um certo carinho. A visão é curiosamente etérea na penumbra do ambiente. Ele continua:

-Você terá, obviamente, pessoal e recursos para sua tarefa, incluindo uma linha de crédito no Banco de Ferro de Braavos. Também tomei a liberdade de tomar algumas providências para facilitar a sua vida, mas antes disso gostaria de ouvir as suas impressões, e quaisquer pedidos que tenha para fazer.
avatar
Mensagens : 7
Data de inscrição : 19/05/2018
Ver perfil do usuário

Re: Lançassolar - Insubmissa, Não Curvada, Não Quebrada

em Ter Maio 22, 2018 4:35 pm
Diante da menção de que havia uma possibilidade de um filho de sua irmã de fato assumir o Trono de Ferro, Melias voltou a apresentar um sorriso sincero e jovial. Talvez fosse o efeito do vinho, mas visualizar esse acontecimento o fez gargalhar:

- HAHAHAHA! Amado irmão, falando assim você não precisa de mais nada para me convencer! Eu morreria feliz se pudesse ter um sobrinho, um legítimo Dragão dornês, sentado naquele trono tenebroso. Lamentaria o fato de um de nosso sangue ter que reinar dentro daquele palácio, mas valeria a pena.

Melias termina sua taça de vinho e serve-se de um pouco mais, aproveitando para completar a taça de seu irmão.

- Sabes, Maron, que até gosto desse sujeito Daeron? Tive poucas oportunidades de conhecê-lo, mas me parece uma afortunada exceção dentre os Targaryen. É gentil, sagaz e diplomático. O fato de ter preferido se afastar do Rei para viver isolado em Pedra do Dragão atesta em favor de sua pessoa. Além disso, e mais importante, nunca ouvi nenhuma história, nem sequer um boato sussurrado, de que ele maltrate nossa irmã. Digo isso para afirmar que não será uma tarefa ingrata apoiá-lo em sua reinvindicação do Trono de Ferro.

Ele olha mais uma vez para a sacada, vendo o Mar estreito que já refletia as primeiras estrelas. Suspira mais uma vez.

- Sentirei falta de Dorne e de sua companhia, meu irmão. Mas saiba que não é com desgosto que serei seus olhos, ouvidos e voz naquela corte. Quanto menos tempo eu puder passar ao lado do verme, menores serão as chances de eu amaldiçoar o Príncipe de Dorne por isso. Melias sorri para seu irmão. - Alguns encontros serão inevitáveis, contudo. Então prepare seu espírito para minhas constantes reclamações!

- E não se preocupe com a postura que assumirei na corte. Tenho meus métodos. E são os métodos de um Martell...

Melias levanta a taça mais uma vez.

- ... Incurvados, não submissos e não quebrados.

- Agora conte-me mais sobre o que tem planejado.
avatar
Mensagens : 29
Data de inscrição : 17/05/2018
Ver perfil do usuário

Re: Lançassolar - Insubmissa, Não Curvada, Não Quebrada

em Qua Maio 23, 2018 7:06 pm
*Maron retribui o brinde, e as palavras da casa. E olha o irmão com o mesmo sorriso triste. Um misto de saudade antecipada e orgulho.*

Hah, sim, que bom que também dá valor ao que está em jogo. Nosso irmão por lei é um bom homem, e seu mais velho, Baelor, tem tudo para seguir os passos do pai, além de também se mostrar promissor como cavaleiro - afinal, ele tem sangue dornês - e Mariah simplesmente o adora e, ao que tudo indica, é recíproco. Péssimo material para trovadores, mas um casamento político bem arranjado.

*O Príncipe de Dorne torna a encher sua taça e acompanha o irmão na sacada.*

-Meus planos não vão muito além do que lhe contei. E minhas providências foram tomadas pouco a pouco. O Trono de Ferro já está ciente que receberá um embaixador de Dorne, e eu poderei confirmar, com alegria, que se trata de meu irmão. Também tomei providências para que não vá de mãos abanando. Pode escolher quais servos levar, e também terá uma pequena guarda ao seu dispor; mais importante, Lorde Wyl foi bondoso o bastante para nos ceder seu meistre. Ele é um nativo das terras fluviais, e poderá lhe ajudar bastante na empreitada, e principalmente, garantirá uma linha segura de corvos para seus relatórios.

-E por último, meu "presente" mais importante: troquei algumas mensagens com Lorde Dayne, e ele me informou que seu sobrinho tem interesse em conhecer a capital dos Targaryen, e para tanto aceita ser seu Escudo Juramentado durante a duração de sua missão.

-Você, querido irmão, contará com a proteção de ninguém menos do que a Espada da Manhã.
avatar
Mensagens : 7
Data de inscrição : 19/05/2018
Ver perfil do usuário

Re: Lançassolar - Insubmissa, Não Curvada, Não Quebrada

em Qui Maio 24, 2018 6:50 pm
Melias apoia os cotovelos no parapeito da sacada, com a taça de vinho nas mãos. Seu olhar se perde no Mar Estreito ao horizonte, coberto pelo manto da noite que acabara de chegar.

- Ser um péssimo material para trovadores é um dos meus objetivos de vida, irmão. Quero que minha existência seja longa, prazeirosa e sem muitos sobressaltos. Fico feliz que a vida de nossa irmã caminhe nesse sentido, ainda que eu saiba o quão difícil é manter a discrição quando se é a esposa de um rei e mãe de seu sucessor imediato.

O jovem se vira para seu irmão.

- Enquanto eu estiver em Pouso do Rei, farei tudo o que estiver ao meu alcance para que a vida de Mariah continue desinteressante aos olhos dos contadores de histórias. Ao mesmo tempo, meus esforços serão empreendidos para que Daeron e, futuramente, Baelor constem nas trovas e nos livros dos meistres.

Melias volta a apresentar um sorriso triste.

- Espero que tudo isso aconteça logo. Assim que assegurarmos que Daeron vai se sentar naquele maldito trono, eu entrarei no primeiro barco que zarpar daquele porto fétido em direção à Dorne.

Subitamente, o sorriso assume um ar malicioso.

- E claro, sempre podemos acelerar a aposentadoria de Aegon...

Melias dá um leve e jocoso tapa em seu irmão.

- Estou brincando, obviamente! Mas posso falar a sério, se você assim quiser...

Devagar, Melias caminha de volta para a mesa, onde pega uma azeitona. Enquanto a come, diz:

- Hmmm, a única coisa que eu ia lhe pedir eram medidas para garantir minha integridade física, mas me parece que você já se adiantou. E o fez muito bem feito, irmão. Será uma honra contar com uma Dayne como escudo. Ao menos terei um nobre de verdade ao meu lado. Quanto ao meistre de Lorde Wyl, será um prazer tê-lo em minha companhia. Talvez seja uma boa oportunidade para que ele aprenda uma coisa ou duas.

Ele retira o caroço da boca e o coloca em um dos pratos usados.

- Quanto aos servos, levarei apenas aqueles que me servem diretamente. Há uma questão, porém, que julgo ser importante. Existe uma jovem que veio recentemente de Lemonwood para trabalhar em um dos prostíbulos da Cidade da Sombra. É uma menina afável e esperta, muito capaz em tudo o que se propõe a fazer. Seu nome é Saena. Creio que ela pode ter uma carreira promissora nas casas de prazer de Pouso do Rei, principalmente aquelas que atendem à nobreza local.

- Precisarei levar Saena comigo e arranjar meios para que consiga um lugar em uma dessas casas. Dada a sua beleza dornesa e talentos, creio que não será muito difícil de conseguir algo do tipo. Com ela por lá, terei olhos e ouvidos em aposentos onde nortenhos da mais alta estirpe não costumam esconder segredos.

Melias termina e, afetuosamente, abraça Maron.

- Estarei ao seu dispôr, querido irmão. Dê-me dois dias para me preparar e poderei partir ao seu comando.
avatar
Mensagens : 29
Data de inscrição : 17/05/2018
Ver perfil do usuário

Re: Lançassolar - Insubmissa, Não Curvada, Não Quebrada

em Sex Maio 25, 2018 9:37 pm
*O sorriso nunca deixa os lábios de Maron enquanto retribui o abraço de Melias. É quase como se lesse o irmão, ou ao menos apreciasse sua personalidade, e suas tramas vindo à tona.*

-Ah sim, a aposentadoria do rei se aproxima, imagino eu. Embora eu nunca, jamais endossaria qualquer ação para adiantar isso, que a natureza siga seu curso.

-Mas é claro, o embaixador de Dorne fala por Dorne, não é? E em Pouso Real tem toda a autonomia que precisar...

-Dois dias devem bastar. Ser Uldrick e Meistre Mathos chegarão em paz e poderei resolver algumas formalidades com o Trono de Ferro.


*Melias não consegue deixar de notar um olhar malicioso no irmão.*

-Providencie sua... informante. Não posso fazer objeção nenhuma para que meu irmão tenha companhia tão agradável durante a viagem, e o rei? Bem, o rei já compartilhou a cama com uma dornesa antes, então a presença dela pode ser útil...

-Ah, uma última coisa. Providenciarei uma galé braavosiana para seu transporte. Você poderia ir por terra, eu suponho, mas não me agrada a ideia de meu irmão passando pela Marca. No mais, tenha uma boa noite, Melias. Espero que saiba o quanto eu, e Dorne, somos gratos.


*Maron dá um último abraço no irmão, e se retira com a bandeja, agora vazia. Melias tem seu quarto novamente para si.*
avatar
Mensagens : 7
Data de inscrição : 19/05/2018
Ver perfil do usuário

Re: Lançassolar - Insubmissa, Não Curvada, Não Quebrada

em Sab Maio 26, 2018 8:43 pm
Melias abraça seu irmão com mais um sorriso sincero. Despedir-se de Dorne seria doloroso, mas havia um prazer em cumprir seu dever para com sua família. Era inegável, também, que uma curiosidade sensação de aventura começavam a tomar sua mente e seu coração. Poderia se divertir, afinal. E Dorne sempre continuaria ali, esperando seu retorno. Contanto que se mantivesse vivo, é claro.

- Confie em mim, Maron. Farei isso por nossa família, por ti e por Dorne. Obrigado pela companhia.

Após a despedida. Melias prepara-se para dormir. Os próximos dois dias seriam intensos com os preparativos de sua partida.

E, de fato, foram dias movimentados. Melias passou a maior parte de seu tempo garantindo que conseguiria levar tudo que fosse possível para amenizar sua estadia no Norte. De uso pessoal, fazia questão de levar suas roupas de corte e seus utensílios de higiene. O fato de estar entre os nortenhos não o faria se vestir ou cheirar como eles.

Também assegurou-se que os criados que levaria consigo estivessem preparados e bem acomodados. Fez questão de perguntar a cada um deles se tinham vontade de acompanhá-lo, deixando claro que estariam livres para escolher.

Visitou a jovem Saena logo na manhã do primeiro dia de preparos. No caso dela, também apresentou o convite como uma escolha, mas foi mais persuasivo no convencimento. Não só queria, mas PRECISAVA que alguém como ela o acompanhasse. Saena era sua agente provocadora e desempenharia um papel importante nas suas tramas. Melias nunca havia sequer tocado de forma maliciosa na jovem, mas tinha grande admiração por seus talentos. Ela conseguia informações que ele não teria acesso de outra forma. Ao chegarem em Pouso do Rei, o Martell teria como uma das suas primeiras ações conseguir um bom local de trabalho para ela, de modo que conseguisse servir aos nobres e, ao mesmo tempo, manter-se segura.

Ao final de sua última noite em Dorne, Melias estava em seus aposentos, sentado em frente à uma das mesas de trabalho. Diante de si, um dos seus mais preciosos bens: uma pequena maleta de couro reforçado. Dentro dela, uma série de frascos de vidro com líquidos de cores diferentes, bem como instrumentos para manipular e extrair substâncias peçonhentas de plantas e animais. Com movimentos lentos e cuidadosos, Melias retira cada um dos frascos e os examina diante da luz de uma luminária.

Sozinho em seu quarto, ele sorri diante dos venenos que planejava levar para Pouso do Rei e fala para o vento:

- Não se deve ir à guerra desarmado, não é mesmo?

Ao terminar seu singelo ritual, Melias se levanta. Serve para si uma taça de vinho dornês - estava garantindo que um estoque razoável embarcasse consigo - e vai até a sacada. Enquanto aprecia a bebida, dá uma volta completa, observando o Mar Estreito, o Mar do Verão e o Sangueverde. Sente a brisa fresca do verão em seu rosto.

- Espero que sinta a minha falta, Dorne. É por você que estarei longe e é você que estará em meus pensamentos.

Melias volta para dentro de seu aposento e prepara-se para deitar.
avatar
Mensagens : 29
Data de inscrição : 17/05/2018
Ver perfil do usuário

Re: Lançassolar - Insubmissa, Não Curvada, Não Quebrada

em Seg Maio 28, 2018 7:09 pm
*Os preparativos seguem de forma tranquila. Melias se sente como um comandante revisando suas táticas às vésperas de uma batalha, e não está errado. Felizmente porém, era um tipo de batalha que ele dominava. Suas roupas e utensílios pessoais são organizados sem maiores problemas, e a maioria dos servos entrevistados deseja acompanhá-lo até Pouso Real. Os poucos que se recusam, alegando motivos como saúde, idade ou família, logo são substituídos por mentes aventurosas a fim de conhecer mais o mundo.*

*Saena, por sua vez, se mostra positivamente empolgada com o novo prospecto. Uma nova cidade, ainda mais uma cidade do tamanho de Pouso Real, era uma ótima oportunidade, e ela responde a Melias que jamais poderia lhe dizer não. Para qualquer coisa.*




*Melias não tem certeza se ela diz a verdade ou não. Mas certamente não tem dúvidas do calafrio que sentiu na espinha.*

*De volta à Lançassolar, conferiu sua maleta com os... "temperos dorneses", e todos pareciam em ordem. No final das contas, os preparativos foram um sucesso, e só restava a Melias esperar que os do irmão tenham fluido da mesma forma.*

*Terminado o dia, o Martell encontra um pouco de paz em meio aos seus livros, antes de se deitar. Os Dez Mil Navios, a história da rainha Nymeria, era um velho favorito e provê relaxamento antes do sono. Melias tem um sono pesado e tranquilo, com exceção de um sonho, rápido, sobre dois dragões. Ambos travam uma luta mortal, mas poucos detalhes podem ser percebidos, pois eles lutem em meio a uma tempestade de areia e fogo. O sonho termina de forma abrupta quando um pilar de água, como os usados pelos feiticeiros Roinares das lendas antigas, derruba um dos beligerantes.*

*É a água que faz Melias acordar, ao perceber que está chovendo pela manhã. Chovendo num estado bem avançado da manhã.
avatar
Mensagens : 7
Data de inscrição : 19/05/2018
Ver perfil do usuário

Re: Lançassolar - Insubmissa, Não Curvada, Não Quebrada

em Ter Maio 29, 2018 6:42 pm
Melias se levanta, olhando a chuva que o céu despejava em Lançassolar. Ele caminha lentamente até a varanda, apreciando a água que caia e o vento frio que esta carregava para dentro do seu quarto. Percebe que dormiu mais do que deveria, mas decide ignorar o atraso por alguns segundos, enquanto mira o horizonte cinzento, pensando no sonho que acabara de ter.

Dois dragões. Um deles derrubados pelos lendários pilares de água dos Roinares. Melias sorri. Apesar de ainda estar um pouco perturbado pelo sonho, que lhe pareceu vívido demais, optou deliberadamente por interpretá-lo como um bom presságio. Se os dragões estavam de fato em disputa, os Martell invocariam toda a força do Rhoyne que ainda carregam em seu sangue para apoiar o Targaryen que se alinhasse aos seus interesses. Os antigos feiticeiros estavam extintos, é verdade. Mas Melias teria outras formas de usar o poder que residia em sua família. Eram afinal, herdeiros dos Roinares. Eram a Casa Nymeros-Martell.

Mesmo atrasado, Melias começa o seu ritual matinal de asseio pessoal, o que incluia banhar-se, pentear seus cabelos e o uso cuidadoso de perfumes. Vestiu-se com roupas próprias para a viagem que o aguardava: um pouco mais resistentes para aguentar eventuais intempéries em alto-mar, o que incluia uma pesada capa de couro com capuz, abotoada na frente com o símbolo de sua família. Calçou também suas botas de cavalaria. Não sabia montar como seu irmão. Suas habilidades em cima de um cavalo, na verdade, deixavam muito a desejar frente ao que se esperava de um Martell. Mas o lugar que ocupava o obrigava ao menos a saber manter-se estável e elegante enquanto estivesse montando. Ademais, as botas de cano alto tinham sua utilidade em tempos chuvosos.

Depois de pronto, Melias deixa seus aposentos. Não olha para trás, pois temia que se o fizesse demoraria ainda mais para se despedir. Seu coração já estava pesado demais.

Enquanto se dirigia para fazer um desjejum e despedir-se de seu irmão, Melias agradecia o fato de Maron ter arranjado uma galé braavosiana. Ao contrário dos dorneses, os braavosi sabiam lidar com embarcações em tempos tormentosos.
Conteúdo patrocinado

Re: Lançassolar - Insubmissa, Não Curvada, Não Quebrada

Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum